Sexta, 28 de Janeiro de 2022
43999564777
Especiais Reflexões

JESUS - "Não por um Acaso Ele dividiu a História da Humanidade em Antes e Após Ele".

A chegada de Jesus na Terra, trouxe um fator diferente para a humanidade: a palavra "Amor".

28/12/2021 16h17
57
Por: Jomar Medeiros Fonte: Da Redação
JESUS -

E lá vem o Natal. Tempo de lembrar de Jesus, o aniversariante mais ilustre que o planeta Terra reverencia. Aquele que dividiu a história da humanidade terrena em antes e após Ele.

De acordo com alguns historiadores, Ele é o homem mais biografado da história. E também, o mais contravertido. Poucos conseguem ficar indiferente à Ele. Enquanto uns amam, outros o odeiam. Sim, tem aqueles que odeiam Jesus. Afinal, em nome Dele, guerras como as "Cruzadas" foram realizadas. Não porque Ele pediu, mas porque o egoísmo, a sede de poder e o extremismo de alguns, assim determinou.

A chegada de Jesus na Terra, trouxe um fator diferente para a humanidade: a palavra "Amor".

Antes de Jesus, alguns líderes, ou chamados de filósofos, deixaram suas marcas na história, e até hoje tem seus seguidores. Na China milenar, Lao Tsé e Confúcio; no Nepal, Buda; na Grécia, Sócrates; entre os hebreus, Moisés, temos ainda o rei Salomão, rei Davi, e outros, que se destacam por seus feitos e contribuições para o desenvolvimento da humanidade, seja nas questões estruturais, sociais, econômicas ou filosóficas. Porém nenhum deles disse o que Jesus disse, nem exemplificou da forma que Jesus exemplificou.

Quando a chamada mulher adultera é levada à Jesus, em uma tentativa dos sacerdotes judaicos em colocarem o mestre numa "saia justa", começava ali uma nova forma de julgamento para os erros humanos. "Quem tiver sem pecado, que atire a primeira pedra". Como nenhum dos julgadores eram isentos de erros, todos começando pelos mais velhos foram saindo, deixando a mulher a sós com Jesus. E numa demonstração de que todos "devem" ter uma oportunidade de se reerguer de suas quedas morais, disse à mulher: "onde estão seus acusadores?". "Eu também não lhe condeno. Vá, e não peques mais, para que não te suceda algo pior".

Dentre o colégio apostólico, Jesus sofreu com traição, desconfiança e abandono. Após 03 anos de trabalho, amizade, e dedicação àqueles 12 homens, nos momentos cruciais de que deveriam testemunhar "fidelidade", não passaram nos testes a que foram submetidos. Judas o traiu, Pedro o negou, Tomé desconfiou da autenticidade de sua aparição, e no dia do calvário, somente João estava em frente à Cruz.

Quantos motivos para Jesus desistir daquele grupo. Mas...após a crucificação, 03 dias depois, ele reaparece e volta a conviver com o mesmo grupo, numa demonstração de que seu "Amor", não tinha limites.

"Os meus discípulos serão conhecidos por muito se amarem". Esta afirmação, dita um pouco antes do martírio sofrido, serviu de base para que após a chamada "ascensão" de Jesus aos céus, os apóstolos se redimissem de seus medos. Foi por "Amor" que o Pedro que negou, se transformou na pedra principal do trabalho do Cristo na Terra, conduzindo os demais companheiros, como "apascentadores" das ovelhas do Mestre. Foi por "Amor", que Paulo de Tarso saiu de perseguidor dos cristãos, para espalhador a mensagem cristã, que persevera até os dias atuais.

É uma pena que a maioria dos cristãos, ainda enxergam Jesus como um líder religioso. O dia que olharmos para seus ensinos não como práticas de templos religiosos, mas como códigos de conduta para serem praticados em nossos lares, nossos locais de trabalho, nossas instituições sejam elas quais forem, teremos enfim, um planeta Terra transformado para melhor. Mais humano, mais solidário, menos corrupto, menos hipócrita, atitude que tanto Ele condenou.

Em um ano (2021) que tivemos tantas perdas, que precisamos nos adaptar a tantas transformações, reflitamos sobre 02 de suas falas: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas”. Não esperemos receber primeiro, para depois oferecer. Se já temos condições de oferecer, vamos ao encontro do outro.

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Vencedor não é aquele que se entrega ao desânimo. É aquele que apesar das aflições, encontra forças para vencê-las.

Jesus no calvário, era a imagem do derrotado. Após 03 dias, voltou para mostrar a humanidade terrena, que a vida depois de criada, não cessa. O corpo físico é uma roupa de carne, que tem prazo de validade, mas a essência desta roupa, o "Espírito" permanece, ontem, hoje e sempre.

Feliz Natal.