covid
Luam
traficante solto

Um dos maiores traficantes de armas do mundo deixa a cadeia no Rio com alvará de soltura falso

João Filipe Barbieri é enteado de Frederick Barbieri – considerado o 'Senhor das Armas' e que está preso nos Estados Unidos. Desembargador determinou nova prisão e pede que MPF apure o caso.

10/02/2021 11h30
Por: Jomar Medeiros
Fonte: Por Leslie Leitão, Bruno Sponchiado e Eduardo Tchao, RJ2
187
Divulgação
Divulgação

Um dos maiores traficantes de armas do mundo deixou a cadeia no Rio pela porta da frente – e por meio de uma fraude.

João Filipe Barbieri fez uso de um alvará de soltura falso para deixar a penitenciária de Bangu, onde estava preso desde 2017, condenado a 27 anos de prisão por associação para o tráfico e tráfico internacional de armas, como mostrou o RJ2.

João é enteado de Frederick Barbieri – considerado o "Senhor das Armas" e que está preso nos Estados Unidos – e é acusado de ser um dos principais integrantes da quadrilha que, segundo as investigações da Polícia Federal, enviou milhares de fuzis para o Brasil em aquecedores de piscina.

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) confirmou a saída de João Barbieri da prisão em 18 de novembro de 2020, apenas três anos depois de começar a cumprir a pena.

A denúncia da saída de Barbieri chegou ao desembargador Marcelo Granado, relator do caso na Justiça Federal. No mês passado, ele pediu explicações à Seap sobre a situação penal de João Filipe Barbieri e outro preso – João Victor Roza.

Na semana passada, a Seap respondeu à Justiça confirmando a saída dos dois. Segundo um ofício da Justiça, João Barbieri teve prisão revogada no dia 18 de novembro e João Victor Roza recebeu um alvará de soltura no dia 14 de outubro.

Na segunda-feira (9), a Seap enviou um novo ofício à Justiça Federal confirmando que João Filipe Barbieri e João Roza estão libertados. A secretaria incluiu os números dos alvarás de soltura, mas não anexou os documentos. A secretaria afirmou apenas que os alvarás foram concedidos pela 8ª Vara Federal Criminal.

Segundo o advogado criminalista Afonso Destri, a 8ª Vara não poderia liberar Barbieri porque o processo não está mais na primeira instância: “A partir do momento que o processo é submetido à análise do tribunal, o magistrado de 1ª instância não pode mais prestar jurisdição. Alguma coisa está faltando nessa história”, explicou.

Na tarde desta terça (9), a Justiça Federal confirmou que não deu nenhuma decisão para soltar Barbieri e que o alvará de soltura é falso. O desembargador Marcelo Granado, relator do caso na Justiça federal, afirmou que irá cobrar explicações do Ministério Público e da Seap.

O desembargador federal ordenou o cumprimento imediato das prisões de João Filipe Cordeiro Barbieri e João Victor Silva Roza.

A Seap informou que está apurando o caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.