covid
Luam
Editorial janeiro

Começou a vacinação: quando podemos voltar à vida normal?

A Matéria Coluna Devaneios Urbanos é escrita por Jomar Medeiros.

04/02/2021 14h06
Por: Jomar Medeiros
Fonte: Da Redação
82

A Inglaterra foi o primeiro país a começar a vacinação em massa contra o Coronavírus. O governo se comprometeu a oferecer vacinas a 15 milhões de pessoas – maiores de 70 anos, profissionais de saúde e aqueles que precisam de proteção até meados de fevereiro, e outros milhões no primeiro trimestre. Isso deve trazer o vírus lentamente sob controle, embora demore várias semanas antes que possamos ter certeza de que a vacina está fazendo efeito.

Segundo matéria publicada no The Guardian, o número de casos diários de Covid-19 pode cair, mas esse declínio pode ser simplesmente devido ao impacto das medidas de bloqueio atuais. Somente quando as internações hospitalares começarem a reduzir significativamente, teremos certeza de que a vacina está tendo um impacto. Então, pode haver um abrandamento das medidas de bloqueio. Poucos cientistas acreditam que isso acontecerá antes da Páscoa, no entanto.

Depois que os maiores de 70 anos receberem suas doses, maiores de 60 anos serão elegíveis, adicionando outros 5 milhões de pessoas. No entanto, essas primeiras vacinas terão que ser seguidos por 20 milhões de doses de segundo porque deve haver um intervalo não superior a 12 semanas entre a primeira e a segunda administração da vacina, alertaram os cientistas. Assim que essas segundas doses forem administradas, as vacinas podem ser distribuídas para outras pessoas.

A vacina diminuirá a taxa de transmissão da Covid-19?

Essa é uma das principais questões que os cientistas buscarão responder nas próximas semanas. As vacinas que agora estão sendo administradas destinam-se a proteger as pessoas dos graves efeitos colaterais da doença. Eles não foram desenvolvidos para bloquear a transmissão do vírus. Assim, uma pessoa pode estar protegida contra doenças graves, mas ainda assim ser portadora do vírus e transmiti-lo a outras pessoas. No entanto, a maioria dos cientistas acredita que as vacinas deveriam reduzir a carga viral nos inoculados e, então, haver uma redução na transmissão. O grau de redução da transmissão será um fator chave para libertar a nação do bloqueio.

O que acontecerá no segundo semestre de 2021?

O governo inglês ordenou doses suficientes da vacina Covid para toda a população do Reino Unido. No entanto, as vacinas não oferecem 100% de proteção e nem todos se permitem ser inoculados. A falta de imunidade geral resultará, portanto, em surtos de Covid-19 ao longo do ano, o que pode se intensificar no próximo inverno. Ao mesmo tempo, novas variantes do vírus podem surgir e exigir a fabricação de vacinas reconfiguradas para combatê-las. Nem se sabe por quanto tempo as vacinas atuais protegerão contra sintomas graves de Covid-19. Como resultado, a maioria dos cientistas acredita que a vacinação anual contra variantes da doença será necessária nos próximos anos.

Portanto, não é exagero o que a imprensa vem alertando, o quanto mais nos cuidarmos, mais vidas serão salvas até que alcancemos um nível de segurança, para depois discutirmos se a cultura brasileira, de beijos e abraços poderá voltar a normalidade, assim como milhares e milhares de pessoas em um show, em uma apresentação, nas praias e centros comerciais. Precisamos retornar ao normal, mas com segurança!

Pensem nisso!

Jomar Medeiros

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Cambará - PR
zico
cambara calçados
Arranha-céu
guaita bistro
guaita
parana norte
fofos
wizard
Municípios
Lufa
farid
Últimas notícias
eletrolucas
yaya
Mais lidas
parana norte